O que estará escrito em sua história?

Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

Ou, o que o homem poderia dar em troca de sua alma?

Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.
Marcos 8:36-38

O que estará escrito em sua história?

Nossa história é escrita de tal forma que, fica gravada pra sempre. Ela não muda e por mais que tentemos esconder algo em nosso passado, jamais poderemos apagar algo que já foi feito. Somos reféns de nossas escolhas, acertando ou não, nossa história é escrita.

Mas, você pode perguntar: – Meu Deus é Deus de Graça perdão e misericórdia, Ele não olha o meu passado, Deus olha minha vida com amor.

Concordo que Deus realmente nos faz novas criaturas e, com sua graça, perdão e misericórdia, nos dá a esperança de vida eterna ao lado do Pai. Mas, a glória deste fato é Dele, não nossa. Ele nos perdoa sim, mas isso não significa que nunca tenhamos errado.

Sabe, quando pregamos o arrependimento, esquecemos o que realmente ele significa. Se arrepender é não querer fazer mais. Quando nos arrependemos, nós rejeitamos aquela atitude que, em outros momentos nos eram prazerosas, lembramos do pecado com nojo e não com saudade. Se arrependidos sentimos vergonha de algo em nosso passado, e, só assim, quando reconhecemos essa insatisfação histórica, somo perdoados.

Muitas vezes, esse sentimento de culpa não nos abate, ele vem, pois, queremos nossa salvação, e ainda jogamos na cara de Deus que ele é Deus de Graça. Esse tipo de arrependimento não existe de fato. É mecânico. Mentiroso.

Precisamos ter muito cuidado ao escrevermos nossa história, mesmos sabendo que nosso Deus é Deus de perdão, graça e misericórdia.

DEUS PERDOA SE ELE QUISER, QUEM ELE QUISER E PELO MOTIVO QUE ELE QUISER, AFINAL, ELE É SOBERANO.

Se pecamos e não nos envergonhamos desse ato, espiritualmente, estamos dizendo que sentimos vergonha de Cristo, deixamos claro que nos é mais agradável fazer o contrário do que Ele nos ensinou. E, isso é grave. Ter vergonha de Cristo é o pior ato que um cristão pode ter.

Resumindo, pecar sem se arrepender, é se envergonhar do Mestre. Significa ficar sem um advogado.

Então eu te pergunto: Quanto vale sua salvação?

Uma noite de sexo?

Um dia de bebedeira com os amigos?

Todos nós pecamos. Infelizmente é impossível viver sem pecar, o que não podemos e transformar o pecado em um ato proposital. Isso não é erro, isso é crime. É doloso. Tem malandragem. É querer enganar a Deus.

Minha opinião é que é melhor abdicar de 30 anos de prazeres na Terra para ter uma vida (eterna) de gozo ao lado de Deus!

 

Por Cyssu…

Anúncios

Já olhou pra cima hoje?

Já olhou pra cima hoje? O que você viu?

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos.
Salmos 19:1

Já olhou pra cima hoje?

O que você viu?

Como pode ser tão grande?

Que fantástico!

O universo é maravilhoso, todos os dias somos pegos por descobertas incríveis e informações que nos surpreendem. Tão gigantesco e tão detalhado.

Mas, em minha meditação, o que achei mais incrível não foi o tamanho desse universo. Foi saber a importância dele.

Toda grande obra está assinada, quem a cria deixa uma marca, deixa suas características para que todos que a observem reconheçam que aquilo é fruto do trabalho de um autor específico.

Isso acontece em todas as áreas. Na literatura, na arquitetura, design, pinturas… É sempre assim, o autor exalta suas características, expões seus traços e divulga em sua obra toda sua personalidade. Sua criação é fruto do seu desejo, o formato da criação, é fruto de sua imaginação.

O desejo de quem cria algo é a admiração. É prazeroso para o “artista”, que sua obra seja vista, comentada, ovacionada e desejada. Uma boa obra é criada simplesmente para ser contemplada.

De acordo com o argumento cosmológico kalam, tudo o que existe, foi criado.

1. O que começa a existir tem uma causa.

2. O universo começou a existir.

3. Logo, o universo tem uma causa.

Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.
Salmos 90:2

Agora, imagine a criação do universo. Então, essa criação não é tão importante quanto à criação do ser humano. Nós somos aquilo que Deus achou muito bom, nós somos especiais para Deus.

E, claro, para uma obra considerada tão especial, é necessária uma assinatura orgulhosa. A rubrica de Deus para criação do homem é a criação do universo.

Somos uma obra diferente das outras. Somos obras e contemplamos uma assinatura fora do comum, observamos a nós mesmos quando vemos, olhando para cima, o tamanho da Glória de Deus.

Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença.
Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade,
para o louvor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado.
Efésios 1:4-6

Não sou produto do acaso. Quando não vejo em mim nada que me remeta ao Criador, olho pra cima e observo Sua assinatura, e lembro que por mais que o universo seja maravilhoso, somente nós somos considerados obra prima de Deus.

Por Cyssu…

Saiba mais sobre o argumento cosmológico kalam em: http://www.monergismo.com/textos/apologetica/Argumento_Cosmologico_Kalam_Isaias.pdf

http://www.apologia.com.br/?p=65


Nem sempre fui crente.

Nem sempre fui crente.

 Antes, santifiquem Cristo como Senhor no coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês.
Contudo, façam isso com mansidão e respeito, conservando boa consciência, de forma que os que falam maldosamente contra o bom procedimento de vocês, porque estão em Cristo, fiquem envergonhados de suas calúnias.
1 Pedro 3:15-16

Olá, Graça e Paz!!!

Olha, eu nem sempre fui crente, eu era ateu, não acreditava em nada espiritual. Passei muitos anos de minha vida com esta convicção, e só me converti pelo amor e pela graça de nosso Deus. Glória a Ele por ser tão grande e se preocupar com alguém tão ínfimo!

Hoje, fico lembrando das pessoas que foram à minha porta e tentaram me convencer de suas verdades. Cara, são pessoas com muito boa vontade mas, testemunhei isso, a maioria é extremamente despreparada para argumentar com alguém com a mentalidade que eu tinha até meados de 2010. Falta informação.

Vou dar um exemplo clássico, um exemplo que acontecia comigo:

Um membro de uma denominação qualquer te chama, e você (no caso, eu), por educação, vai até a porta e cumprimenta a pessoa e, já sabendo do que se trata, diz:

– Em que posso te ajudar?

Rapidamente, tal pessoa lhe pede, por favor, para você (no caso, eu, de novo) pegar uma bíblia que por ventura está guardada dentro de casa. É então que você responde:

– Não tenho bíblia, não acredito nela, respeito sua honestidade mas, pra mim a bíblia não expressa a verdade.

As respostas dos evangelistas SEMPRE se resumiram em dizer que a bíblia é a Palavra de Deus!

E, minhas respostas sempre se resumiram em questionar o argumento de forma simples e direta, eu usava sempre o argumento ”quem disse?”

Este é o caso, a própria bíblia diz isso. E, como havia acabado de dizer que ela não tinha nenhuma credibilidade pra mim, o argumento cristão cessava.

A conversa parava, e, por mais que o evangelista tentasse, não conseguia usar argumentos que não fossem espirituais.

Não estou dizendo que era um discurso errado, na verdade, todas as argumentações estavam certas, só eram usadas de forma equivocada.

As Escrituras dizem:

 Irmãos, não lhes pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a crianças em Cristo.
Dei-lhes leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições,
porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos?
1 Coríntios 3:1-3

Paulo, mesmo falando com cristãos, foi impedido de falar de forma espiritual. Para ser entendido, o apóstolo usou outro tipo de ferramenta. Outra forma de comunicação.

Cristo, em sua onisciência, não dizia a todos de maneira espiritual, Ele preferiu usar parábolas.

Assim, devemos ter argumento plausíveis quando defendemos nossa posição cristã com alguém que não tem, ou não acredita, em algo sobrenatural.

Por isso, irmão (ã), temos que estar preparados, e muito bem preparados. Como vamos falar de coisas espirituais com pessoas que nem sabem o que é isso. Como vamos apontar para a cruz e dizer que Cristo ressuscitou por nós, se quem ouve esse argumento nem acredita que Ele foi à cruz. Sem informação TEÓRICA apenas levantaremos um tema, um debata e, talvez, um bate-boca regrado a deboches e piadas.

Evangelizar alguém que não acredita no sobrenatural, ou, quem não tem uma quedinha por Deus, não é tão simples assim. Temos que ser apologistas, e, aceitar que em certos casos, nos cabe apenas o argumento racional.

A respeito do motivo da crença que diz que aquele livro que portamos em nossas mãos, a saber, a Bíblia Sagrada, diz a verdade, gosto de usar um exemplo de argumentação teórica, um raciocínio lógico e VERDADEIRO para quebrar qualquer tipo de acusação sobre nossa informação, e o argumento é esse:

Eu escolhi crer na Bíblia porque ela é um acervo confiável de documentos históricos escritos por testemunhas oculares durante a vida de outras testemunhas oculares. Eles nos relatam eventos sobrenaturais que aconteceram em cumprimento a profecias específicas e alegam que seus escritos são de origem divina, e não humana.

Voddie Baucham

Racional e edificante espiritualmente.

Um discurso racional, não necessariamente se esquiva do Espírito de Deus. Com algumas pessoas, esse formato é necessário, assim, após a prova da RAZÃO DA ESPERANÇA QUE PULSA EM NÓS, damos nosso testemunho e, o Espírito de Deus pode entrar e transformar os corações.

Que Deus te abençoe com sabedoria!

Por Cyssu…

Confiança!

Graça e Paz!!!

 E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena.
Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.
João 19:25-27

Todos os homens que Jesus escolheu para o acompanhar  tinham obrigações. Jesus, um líder incomparável (até porque Ele é Deus) sabia delegar responsabilidades e, sabia o que delegar a cada um. O Mestre tinha total controle sobre as atribuições que cada um dos 12 poderia ter. E sabia o que poderia ser pedido a cada um deles.

Neste caso, comparando as atribuições, posso garantir que de todos os discípulos, o que mais me chama a atenção é João. Sério, acho esse cara um monstro.

Ele, que a Palavra de Deus trata como o Discípulo Amado, ficou responsável pela mãe biológica de Cristo, ficou responsável pela mulher que teve um papel fantástico nesse planeta. Jesus confiou a João, ser responsável por sua família.
Mas, o que fez de João um cara tão diferente? O que fez de João, ser digno de tanta confiança?

Vamos lá!

Para se ser considerado amado por alguém de fato existe um merecimento…

Tendo Jesus dito isto, turbou-se em espírito, e afirmou, dizendo: Na verdade, na verdade vos digo que um de vós me há de trair.
Então os discípulos olhavam uns para os outros, duvidando de quem ele falava.
Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus.
João 13:21-23

Quando o Mestre (que mesmo sendo Deus, aceitou sofrer como homem) estava em um momento de total tensão, o momento crucial de sua vinda, apenas um discípulo prestou afago, carinho e amor fraterno à Cristo. E, esse cara foi João. Ele entendeu o sofrimento de Jesus e se compadeceu com a situação. João praticamente pegou Jesus no colo!

Posso conjecturar que João era sempre assim, sempre presente, sempre honesto em sentimentos com Cristo, um camarada que estava sempre disposto a amar o Mestre e sempre presente, posso até dizer que era quem mais sabia os segredos humanos do Mestre. Quero crer que Jesus falava muitas coisas para João e, com essa intimidade total, João soube o que ninguém mais soube.

Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.
Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.
João 21:24-25

João é muito maneiro!

Voltando ao início, vemos um João aos pés da Cruz. Num momento onde o mais valente tava fugindo e outro já havia se matado, João ousou. Ousou em ser exatamente o que era, ousou em se expor e mostrar para quem quisesse ver o que ele seria no dia seguinte a aquele. Esse camarada se tornou mais que um discípulo.

Nos momentos mais decisivos da vida de Cristo, João foi digno de confiança e, após a ressurreição não desistiu do chamado. Então, Deus premiou a João. Deus, lá do alto, amou João e teve com ele uma intimidade tremenda, separando-o, e dando a João o que ninguém mais teve. Deus Revelou ao Discípulo Amado, o Seu retorno!

Deus pode confiar em você?

Por Cyssu…